ELEIÇÕES 2018

Brasil vai ao 2º turno com Bolsonaro e Haddad

3da5fa73-c5e5-4b5d-ad4f-a35c3bfb6d35

Jair Bolsonaro e Fernando Haddad disputarão em segundo turno o Palácio do Planalto. O capitão reformado teve quase 50 milhões de votos, 46% dos válidos, enquanto o petista levou 30 milhões — 29%. Os dois terão, a partir de hoje, três semanas de campanha até o domingo, dia 28, quando os brasileiros voltam às urnas. A propaganda eleitoral gratuita começa amanhã, terça-feira, e se dividirá em dois períodos diários de 20 minutos. São dez minutos para cada candidato — às 13h e às 20h30, na televisão. Em dias alternados, falam candidatos aos governos estaduais e os presidenciáveis.

O candidato militar não deu a tradicional entrevista coletiva, tampouco fez o habitual discurso num ambiente cheio de militantes. Preferiu uma transmissão ao vivo pelas redes sociais. “Ganhamos em quatro regiões”, afirmou. “Perdemos no Nordeste, mas nossa votação lá foi muito boa.” Seu discurso foi de união. “Temos tudo para sermos uma grande nação, unir nosso povo, unir os cacos que nos fez o governo da esquerda no passado.” Para ele, foram falhas que não especificou nas urnas eletrônicas que impediram a vitória no primeiro turno. “Vamos junto ao TSE exigir soluções para isso que aconteceu, e não foi pouca coisa.”

Haddad seguiu a tradição, e falou de um palanquete no Hotel Pestana, em São Paulo, a aliados e jornalistas. “Há muita coisa em jogo no Brasil”, disse tendo de um lado sua vice, Manuela D’Ávila, e do outro a presidente do PT, Gleisi Hoffman. “Essa é uma eleição incomum, muito diferente de todas as que participamos. Vamos enfrentar esse debate no campo democrático com uma única arma: o argumento.” Seu principal desafio será o de formar um arco grande de alianças — se propôs a isso. “Queremos unir os democratas do Brasil, um projeto amplo que busque de forma incansável justiça social.”

Fonte: Canal Meio

About the author

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Add Comment

Click here to post a comment