CRISE Saúde

Hospital de Urgências de Goiânia é interditado

hugo

Modelo de saúde goiano: Hugo é interditado após caos no atendimento.

Espécie de exemplo número 1 da saúde realizada pelo Governo de Goiás, o Hospital de Urgências de Goiás (Hugo) foi nesta segunda-feira, 24, pela primeira vez interditado em toda sua história.

O motivo é grave: a unidade coloca em risco profissionais e pacientes.

Criado em 1987 e colocado em funcionamento no início da década de 1990, o Hugo foi idealizado pelo ex-governador Henrique Santillo, que em vida já alertava para a necessidade de que os gestores futuros cuidassem com atenção da unidade.

Agora, 31 anos depois, a unidade sofre exatamente com a desídia do poder público: a falta de medicamentos e insumos  “colocam em risco grave, iminente e recorrente a vida dos profissionais que atuam no local”, informa o Ministério Público do Trabalho (MPT), órgão responsável pela grave medida administrativa.

Seus peritos e integrantes do Conselho Federal de Farmácia comprovaram a situação caótica da unidade.

Conforme o MPT, o Hugo terá que apresentar na quarta-feira, 26, um plano de emergência,  reduzir a admissão de novos pacientes  e divulgar “protocolos emergenciais”.

O motivo para a crise é a falta de repasses do Governo de Goiás para a Organização Social que faz a gestão da unidade.

Há um mês a unidade dá sinais de que não conseguirá chegar funcionando até o final do ano.

Usado nas campanhas eleitorais do ex-governador de Goiás Marconi Perillo (PSDB) como vitrine da sua gestão em saúde, o Hugo não apresenta mais condições de funcionamento diante da demanda e poucos recursos repassados para a unidade.

A reportagem não recebeu até o momento a versão do hospital para as exigências administrativas e explicações sobre os motivos que levaram a unidade a ser interditada.

Fonte: Jornal Urgente

About the author

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Add Comment

Click here to post a comment