Cidades Solidariedade

PRE promove ação solidária em Catalão

IMG-20180727-WA0073-1024x650

Para quem não conhece todas as atuações da Polícia Militar do Estado de Goiás, preste a atenção nesta ocorrência, atendida hoje pela manhã.

O desfecho da história foi complementado pelas ações voluntariosas dos soldados envolvidos:

O Sargento Fernando, Sargento Célio e o Cabo Menin, da I CIPM – 3º Pelotão da Polícia Rodoviária Estadual de Goiás, baseados em Catalão.

O texto abaixo está escrito tal e qual nos documentos oficiais da corporação.
“Fomos procurados pelo solicitante que nos informou sobre o desaparecimento da sua esposa de nome Romildes de Fátima da Silva, que segundo o informante essa senhora é portadora de doenças físicas (enfisema pulmonar) e transtornos psicológicos (depressão), e que teve informação de que ela fora vista caminhando as margens da rodovia GO 330, possivelmente no sentido a cidade de Ipameri, de imediato iniciamos um patrulhamento no sentido de apurar a veracidade da informação após patrulhamento juntamente com solicitante conseguimos localizar a srª Romildes nas proximidades do km 43 da GO 330, onde conversamos e convencemos que a mesma retornasse para sua residência com a equipe da policia rodoviária estadual. Durante o trajeto o casal se queixou que passa por problemas financeiros ao ponto de estar com água, luz e aluguel atrasados, sem nada para se alimentar e sem condições de adquirir os medicamentos de uso controlado e contínuo que são usados pela srª Romildes. Diante do ocorrido a equipe policial se prontificou de imediato a comprar todos os medicamentos, pagar água, energia e doar uma cesta básica alimentícia para suprir momentaneamente a necessidade do casal.”

A Gloriosa Corporação da PM, não precisa de ‘confete’, mas sim de reconhecimento de seu trabalho social, também implícito em sua carta de compromisso com a comunidade.

Fonte: Fala Goiás – Leandro Ciriaco Cirino

About the author

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Add Comment

Click here to post a comment