Saúde

H1N1 este ano chega a 52, em Goiás

unnamed (1)
Segundo Secretaria de Saúde, outras 5 pessoas morreram pelos tipos da Influenza A/H3 e B. Campanha de vacinação contra doença foi estendida até o dia 15 de junho.

O número de mortes pelo vírus da gripe H1N1 subiu para 52 em Goiás. Segundo o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgado na terça-feira (6), além das vítimas fatais da H1N1, outras 5 pessoas morreram pelos tipos H3N2 e Influenza B. A campanha de vacinação contra a doença, que começou mais cedo no estado, foi estendida até o dia 15 de junho para os grupos de risco.

O boletim da SES apontou que foram registrados em Goiás, até terça-feira, 353 casos da Influenza pelo vírus H1N1, 40 por H3N2 e três vítimas da Influenza B. Outras 155 ocorrências são investigadas, suspeitas de doenças causadas pela Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que abrange os vírus da Influenza, ainda estão sob investigação.

Screenshot_20180606-090348

Vacinação estendida

Goiás é o estado com maior número de ocorrências da doença registradas este ano, segundo dados do Ministério da Saúde. Por conta disto, o estado precisou antecipar em dez dias o início da campanha de vacinação para os grupos de risco (veja abaixo quem faz parte).

Iniciada em 13 de abril, a imunização, que terminaria no último dia 1º, foi estendida pelo Governo Federal até o dia 15 de junho. A vacina também protege contra H3N2 e Influenza B.

São considerados integrantes do público-alvo crianças de 6 meses a 5 anos, gestantes, puérperas, pessoas com 60 anos ou mais, indígenas, trabalhadores da saúde, professores, portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, funcionários do sistema prisional e adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos que cumprem medida socioeducativa ou estão presos.

No momento da vacinação, é obrigatória a apresentação de um documento pessoal. As puérperas devem apresentar, além do documento pessoal, um documento que comprove a gestação (certidão de nascimento do filho ou cartão de gestante).

Já os trabalhadores de saúde, professores e trabalhadores do sistema prisional devem apresentar documento que comprove vínculo ou categoria profissional, entre os quais contracheque, crachá e outros.

O Ministério da Saúde informou que, até 25 de maio, 1.639.754 de pessoas tinham sido vacinadas em todo o estado. Esse número corresponde a 97,9% do público-alvo.

About the author

Allan Ribeiro

Minha história com o jornalismo tem uma trajetória que começou a ser escrita aos 11 anos de idade, quando comecei a representar o jornal O Diário da Manhã.
O fiz por gostar de ler e de estar informado. De entregar o jornal passei a enviar notícias da cidade a serem publicadas.
Ao visitar o jornal, em conversar com o senhor Batista Custódio, surgiu a possibilidade de publicar artigos sobre temas específicos. Foi o que fiz, e ver a repercussão só me incentivou.
Deste ponto passei a publicar também no O Popular. Como a volta do Novo Horizonte ao futebol profissional integrei a equipe da Rádio Xavantes, graças a Deus, naquela oportunidade o time subiu para a divisão de elite.

Add Comment

Click here to post a comment